Inicialmente, Jonathan Nolan queria que o Charada fosse o vilão de Batman: O Cavaleiro das Trevas Re

Inicialmente, Jonathan Nolan queria que o Charada fosse o vilão de Batman: O Cavaleiro das Trevas Re

Inicialmente, Jonathan Nolan queria que o Charada fosse o vilão de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Christopher Nolan dirigiu a trilogia Batman: O Cavaleiro das Trevas, que é um clássico das telas. Recentemente, Jonathan Nolan revelou em um programa de entrevistas que inicialmente queria que o Charada fosse o vilão de Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, mas Christopher Nolan e o co-roteirista David S. Goyer queriam que Bane fosse o vilão.

1 0 2024-04-12 Jogos multijogadores

"V Rising" lança o primeiro trailer de gameplay do DLC de ligação de Castlevania

"V Rising" lança o primeiro trailer de gameplay do DLC de ligação de Castlevania

Prepare-se para uma briga épica com o icônico caçador de vampiros Simon Belmont, vista-se como Alucard e construa seu próprio Castlevania


A desenvolvedora de jogos sueca Stunlock Studios e a Konami Digital Entertainment (KONAMI) lançaram hoje o primeiro trailer de gameplay da saga “V Rising” Castlevania. Esta ligação está programada para ser lançada em 8 de maio junto com a tão aguardada versão completa de “V Rising” no Steam, e a versão PS5 será lançada ainda este ano. O trailer também faz parte do evento digital “Project 3i” lançado pela Evil Empire, desenvolvedora de “Dead Cells”.

4 0 2024-04-11 Jogos multijogadores

Resenha do Green Hell: sobrevivência nojenta, brutal e agonizante(part I)

Resenha do Green Hell: sobrevivência nojenta, brutal e agonizante(part I)

O Green Hell é uma espécie de velho amigo dos sobrevivencialistas.


GREEEN HELL



Sua apresentação e posição histórica são muito especiais. Como um "jogo antigo" que estreou em setembro de 2019, Green Hell é conhecido por muitos fãs de jogos de sobrevivência por seu estilo realista distinto. Se você já o jogou, nunca esquecerá o nome. Se ainda não jogou, é melhor tentar.


O Green Hell foi lançado recentemente com uma dublagem chinesa, portanto, agora é o melhor momento para entrar no jogo.


É claro que essa atualização gratuita depois de vários anos também nos dá a chance de ter uma boa conversa sobre o jogo - um desejo meu não realizado para 2019.


GREEN HELL



É difícil exagerar o momento do lançamento de Green Hell; meados de 2019 é quando o The Forest está em seu melhor momento, e por um bom motivo: por um lado, é o aniversário de um ano do lançamento oficial do jogo nas prateleiras das lojas, com a jogabilidade e a história polidas até o limite; por outro lado, é o momento em que o The Forest está oficialmente participando de todos os tipos de promoções do Steam e expandindo sua base de jogadores como um louco! o ponto do tempo.


Também vale a pena observar que comecei a jogar The Forest em abril de 2019.


THE FORSET


Além disso, há outro jogo de sobrevivência com anaglifos que foi lançado oficialmente em 2018 e continua a expandir sua base de jogadores: é o Subnautica.


O motivo pelo qual o Subnautica ainda consegue manter sua popularidade após um ano também é muito simples. Um título de sobrevivência com quase 100% de aclamação da crítica, como The Forest, sua equipe de produção anunciou oficialmente uma sequência, Subnautica Below Zero, em janeiro de 2019, e ela está em fase de prévia.


É claro que "Below the Freezing Point" foi originalmente anexado à expansão do mapa Ice Sea do jogo Deep Sea Trek Subnautica propriamente dito. Mas, devido à grande quantidade de trabalho envolvido e à relutância da Unknown Worlds Entertainment em atrasar a data de lançamento do jogo novamente, a expansão Ice Ocean tornou-se uma sequência separada.


Entretanto, essa decisão não fez com que o já badalado Subnautica caísse nas graças dos fãs. Pelo contrário, com a sucessão quase ininterrupta de sequências e a experiência de jogo original ridiculamente boa, a popularidade do Subnautica se estendeu por vários anos sem nenhum declínio e até ofuscou seu antecessor, The Forest, por um tempo.


SUBNAUTICA



E se você já jogou The Forest e Subnautica, sabe exatamente que tipo de monstros estão no mesmo nível de Green Hell. Basta dizer que não parece particularmente incomum que o Green Inferno não tenha impressionado desde seu lançamento. Além da ocasional indicação para alguns prêmios de jogos, a luz desse jogo de sobrevivência hardcore antropomórfico foi basicamente ofuscada por seus dois predecessores.


GREEN HELL



O Green Hell escolheu uma categoria de sobrevivência muito específica: o mimetismo hardcore. O cenário do jogo também se passa na densa floresta tropical da América do Sul. Se você costuma sobreviver na natureza selvagem, deve saber que, como um dos três principais "Jedi" de sobrevivência, ao lado de desertos e campos de gelo, as florestas tropicais não são tão desafiadoras quanto os dois primeiros em termos de materiais e clima. Pelo contrário, as florestas tropicais sempre foram conhecidas por sua biota extremamente rica e pela quantidade de materiais de sobrevivência em potencial - pode-se até dizer que é um pouco rica demais. Tanto é assim que os próprios recursos de sobrevivência se tornaram alienados como um dos desafios da sobrevivência.


Especialmente o acesso aparentemente mais simples à água e o gerenciamento da força física.


GREEN HELL

19 0 2024-03-29 Jogos multijogadores

Stardew Valley

Stardew Valley


Stardew Valley é um videogame de simulação de vida na fazenda de 2016 desenvolvido por Eric "ConcernedApe" Barone. Os jogadores assumem o papel de um personagem que herda a fazenda dilapidada de seu falecido avô em um lugar conhecido como Stardew Valley. O jogo foi lançado para Windows em fevereiro de 2016, antes de ser portado para outras plataformas. Stardew Valley é um jogo aberto, que permite aos jogadores cultivar plantações, criar gado, pescar, cozinhar, minerar, procurar alimentos e socializar com os habitantes da cidade, incluindo a possibilidade de se casar e ter filhos. Ele permite que até oito jogadores joguem juntos on-line.


Stardew Valley

Barone desenvolveu Stardew Valley exclusivamente por mais de quatro anos e meio. Ele se inspirou muito na série Story of Seasons, com adições para solucionar algumas das deficiências desses jogos. Ele usou o jogo como um exercício para aprimorar suas próprias habilidades de programação e design de jogos. O estúdio britânico Chucklefish abordou Barone no meio do desenvolvimento com a oferta de publicar o jogo, permitindo que ele se concentrasse mais em concluí-lo.


Stardew Valley foi citado como um dos melhores jogos de videogame de todos os tempos. Yasuhiro Wada, o criador de Story of Seasons, também elogiou o jogo por manter a liberdade que os jogos posteriores de sua série haviam perdido. O jogo vendeu mais de 30 milhões de cópias até fevereiro de 2024, tornando-o um dos videogames mais vendidos de todos os tempos.



Jogabilidade


Stardew Valley é um jogo de simulação de agricultura inspirado principalmente em Story of Seasons, uma série da Marvelous, anteriormente conhecida como Harvest Moon. No início do jogo, os jogadores criam um personagem, que herda um terreno e uma pequena casa que pertenceu a seu avô em uma pequena vila chamada Pelican Town, localizada no Stardew Valley. Os jogadores podem escolher entre vários tipos diferentes de fazendas, cada uma com um tema exclusivo e diferentes benefícios e desvantagens. A terra da fazenda é inicialmente invadida por pedras, árvores, tocos e ervas daninhas, e os jogadores devem trabalhar para limpar os detritos a fim de abrir caminho para plantações, edifícios e vários outros itens que podem ser colocados.


Os jogadores interagem com personagens não-jogadores (NPCs) que habitam a cidade, inclusive se envolvendo em relacionamentos com eles; isso pode culminar em casamento, o que faz com que o NPC ajude o personagem do jogador a cuidar da fazenda. Após o casamento, os jogadores podem ter a chance de conceber um filho com o cônjuge ou adotar um, no caso de casamento entre pessoas do mesmo sexo. Os jogadores também podem pescar, cozinhar, fazer artesanato e explorar cavernas geradas processualmente com materiais e minérios para minerar ou criaturas para combater. Os jogadores podem participar de várias missões para ganhar dinheiro adicional ou completar coleções específicas de materiais (chamadas de "pacotes") para restaurar o Centro Comunitário da cidade ou pagar determinadas quantias de dinheiro para completar os pacotes do JojaMart. A conclusão de pacotes recompensa os jogadores com vários itens, incluindo sementes e ferramentas. A conclusão de vários pacotes concede aos jogadores acesso a áreas anteriormente restritas e à mecânica do jogo.Todas essas atividades devem ser comparadas com o nível atual de saúde e exaustão do personagem e com o relógio interno do jogo. O jogador pode consumir alimentos que concedem certos bônus que são úteis em determinadas atividades e situações. Os alimentos também são uma fonte de reposição de saúde e energia, o que permite que o jogador conclua mais tarefas em um determinado dia. O jogo usa um calendário simplificado, cada ano com quatro meses de 28 dias que representam cada estação, o que determina quais culturas podem ser cultivadas e quais atividades podem ser benéficas. Mais adiante no jogo, os jogadores podem restaurar uma estufa e acessar uma ilha tropical que pode cultivar qualquer cultura, independentemente da estação. Essa ilha também contém um vulcão e recursos adicionais que podem ser utilizados no jogo.



Desenvolvimento


O Stardew Valley, originalmente intitulado Sprout Valley, foi criado pelo designer de jogos indie americano Eric Barone, conhecido profissionalmente como ConcernedApe. Em 2011, Barone se formou em ciência da computação na Universidade de Washington Tacoma, mas não conseguiu emprego no setor, trabalhando como recepcionista no Paramount Theatre em Seattle. Buscando aprimorar suas habilidades em computação para ter melhores perspectivas de emprego, ele teve a ideia de criar um jogo que também atraísse seu lado artístico. Por ter crescido no noroeste do Pacífico, Barone incorporou muitos elementos da região na jogabilidade e na arte.


Stardew Valley começou originalmente como uma alternativa moderna criada por fãs para a série Story of Seasons, pois ele achava que a série havia se tornado "progressivamente pior" depois de Harvest Moon: Back to Nature. Incapaz de encontrar um substituto satisfatório, Barone começou a criar um jogo semelhante à série, afirmando que sua intenção era "resolver os problemas que eu tinha com [Story of Seasons]" e que "nenhum título da série jamais reuniu tudo de forma perfeita". Barone também se inspirou em outros jogos, incluindo Animal Crossing, Rune Factory, Minecraft e Terraria, acrescentando recursos vistos nesses jogos, como criação, missões e combate. Ele foi o único desenvolvedor do jogo, criando toda a pixel art, música, efeitos sonoros, história e diálogo do jogo. 


Inicialmente, Barone considerou a possibilidade de lançar Stardew Valley no Xbox Live Indie Games devido à facilidade de publicação nessa plataforma, mas descobriu logo no início que seu escopo se tornaria muito maior do que o previsto originalmente. Barone anunciou publicamente o jogo em setembro de 2012, usando o sistema Greenlight do Steam para medir o interesse no jogo.Depois que o jogo recebeu um grande apoio da comunidade, Barone começou a trabalhar nele por completo, envolvendo-se com as comunidades do Reddit e do Twitter para discutir seu progresso e obter feedback sobre as adições propostas.  Pouco depois do período do Greenlight em 2013, ele foi abordado por Finn Brice, diretor da Chucklefish, que se ofereceu para ajudar a publicar o jogo no lançamento.  A Chucklefish assumiu muitas das atividades não relacionadas ao desenvolvimento para Barone, como a hospedagem do site e a criação de sua wiki de desenvolvimento.  Barone decidiu não usar o recurso de acesso antecipado do Steam para o desenvolvimento, pois achava que não era adequado para Stardew Valley.  Barone passou quatro anos trabalhando no projeto, refazendo-o várias vezes e frequentemente passando 10 horas ou mais por dia trabalhando nele. Originalmente, ele o programou em C# usando a estrutura XNA da Microsoft, mas depois migrou para o MonoGame em 2021, que, de acordo com Barone, "prepara o jogo para o futuro e permite que os mods acessem mais de 4 gigas de RAM".



Stardew Valley


Barone pretendia dar aos jogadores a sensação de imersão em uma pequena comunidade agrícola, afirmando que queria que Stardew Valley fosse divertido e, ao mesmo tempo, que tivesse "mensagens do mundo real". Em contraste com os jogos Story of Seasons anteriores, que podiam terminar após dois anos de jogo, Barone manteve Stardew Valley em aberto para que os jogadores não se sentissem apressados em tentar completar tudo o que fosse possível. [Durante o desenvolvimento, Barone reconheceu que alguns jogadores tentariam descobrir mecanicamente como maximizar o rendimento e o lucro de suas fazendas por meio de planilhas e outras ferramentas, mas esperava que a maioria dos jogadores dedicaria tempo para aprender por conta própria. [Para isso, ele projetou o aspecto culinário do jogo propositadamente para não ser lucrativo, mas para compensar com bônus que ajudassem nas habilidades de exploração, agricultura, mineração e pesca. Barone também optou por não incluir o abate de animais de fazenda para produtos de carne, incentivando os jogadores a nomear e cuidar de cada animal individualmente, mantendo o sentimento que ele queria para o jogo.


Lançamento


Em abril de 2015, Barone anunciou que pretendia lançar o jogo somente quando sentisse que o recurso estava completo, recusando-se a colocar o jogo no programa de acesso antecipado ou a aceitar qualquer pagamento de pré-venda. O jogo foi lançado para Windows em 26 de fevereiro de 2016. Após o lançamento, Barone continuou a trabalhar no jogo, recebendo feedback da comunidade e corrigindo bugs, e declarou planos de adicionar outros recursos em uma data posterior. Barone previu a inclusão de mais conteúdo de final de jogo, bem como a portabilidade para outras plataformas. Barone declarou que planejava inicialmente um modo cooperativo para quatro jogadores a ser lançado no jogo no lançamento. Nesse modo, Barone planejou que todos os jogadores compartilhassem uma fazenda comum, permitindo que todos os jogadores realizassem diferentes tarefas relacionadas a ela, como um jogador minerando enquanto os outros cuidam de diferentes partes da fazenda. O recurso multijogador oferece suporte à rede de área local e à conectividade on-line remota. Barone havia planejado o teste beta público do recurso multijogador no final de 2017 para a versão do Windows, mas ainda estava trabalhando para melhorar o código de rede no início de 2018. A versão beta do multijogador para Windows foi lançada em abril de 2018, com lançamento oficial para todas as plataformas de PC em 1º de agosto de 2018. Em dezembro de 2018, a atualização do modo multijogador foi lançada para o Nintendo Switch.




As versões móveis para iOS e Android foram desenvolvidas com a ajuda do The Secret Police, com a versão para iOS sendo lançada em 24 de outubro de 2018 e a versão para Android sendo lançada em 14 de março de 2019. Ambas as versões incluem a capacidade de os usuários do Windows, macOS e Linux transferirem o progresso para seus dispositivos. Em 2018, Barone declarou seu desejo de montar uma equipe de desenvolvedores para ajudar a continuar o desenvolvimento do jogo. Em 2019, todas as versões do jogo, exceto a móvel, foram publicadas por Barone.




Em dezembro de 2019, Stardew Valley foi adicionado ao Tesla Arcade, um serviço de videogame baseado em Linux incorporado na maioria dos modelos de carros elétricos Tesla. Uma adaptação de um jogo de tabuleiro cooperativo, Stardew Valley: The Board Game, foi lançada em fevereiro de 2021. Um livro de receitas oficial com adaptações de mais de 50 receitas do jogo foi anunciado em agosto de 2023 e está previsto para ser lançado em 14 de maio de 2024. A ConcernedApe promoveu sua primeira turnê de shows de Stardew Valley, Stardew Valley: Festival of Seasons, em 10 de outubro de 2023.



Envolvimento da Chucklefish


Em maio de 2016, Barone anunciou que a editora Chucklefish ajudaria com as localizações em outros idiomas, macOS, Linux e portas de console, e os aspectos técnicos necessários para o jogo cooperativo online, permitindo que ele se concentrasse apenas na primeira grande atualização de conteúdo. As portas para macOS e Linux foram lançadas em 29 de julho de 2016. As portas para PlayStation 4 e Xbox One foram anunciadas na E3 2016 em junho.  No mesmo evento, Barone declarou que uma versão para o Wii U também seria lançada, embora essa versão tenha sido posteriormente cancelada em favor de uma versão para o Nintendo Switch. As versões para PlayStation 4 e Xbox One foram lançadas, respectivamente, em 13 e 14 de dezembro de 2016. A versão para Switch, portada pela Sickhead Games, foi lançada em 5 de outubro de 2017. 


Stardew Valley


No início de 2017, Barone declarou suas intenções quanto à possibilidade de uma versão para PlayStation Vita, que foi posteriormente confirmada e lançada em 22 de maio de 2018. As versões de varejo para PlayStation 4 e Xbox One são publicadas e distribuídas pela 505 Games. Uma edição de colecionador lançada na mesma época incluía um mapa físico do mundo do jogo, um código de download para a trilha sonora e um livro-guia.


Em dezembro de 2018, os direitos de publicação para todas as plataformas, exceto Android, iOS e Nintendo Switch, foram revertidos para Barone. Em seguida, ele recuperou os direitos para o lançamento do Nintendo Switch em outubro de 2019, o wiki oficial em fevereiro de 2021, o lançamento do iOS em dezembro de 2021, e o lançamento do Android em março de 2022, encerrando o envolvimento da Chucklefish.


Mods


Stardew Valley também viu uma comunidade de modding ativa, com jogadores adicionando vários novos recursos ao jogo. Um desses mods é Stardew Valley Expanded, que tem mais de 2 milhões de downloads.  A maioria dos mods só pode ser reproduzida na versão do jogo para PC. Algumas atualizações do jogo incluíram mudanças que facilitam a modificação.


Recepção



Stardew Valley recebeu críticas "geralmente favoráveis", de acordo com o agregador de críticas Metacritic.  Foi citado por diversas publicações como um dos maiores videogames de todos os tempos.


Jesse Singal, escrevendo para o The Boston Globe escreveu que o jogo era "totalmente atraente, cuidadosamente elaborado" e fornecia aos jogadores inúmeras variedades de atividades para realizar sem cair em um ciclo de atividades repetitivas. Elise Favis, da Game Informer, descobriu que assistir seu irmão autista jogar Stardew Valley a ajudou a entender melhor sua condição, já que o jogo fornece estrutura suficiente de eventos presentes com visão suficiente de eventos futuros para permitir que seu irmão aproveite o jogo. Yasuhiro Wada, o criador da série Story of Seasons que inspirou Stardew Valley, afirmou que estava "muito feliz" com o jogo, pois lhe mostrou que Story of Seasons não era uma série esquecida e continuava em espírito. Ele também afirmou que a abordagem feita por Barone com Stardew Valley foi capaz de manter a liberdade que ele queria manter na série Story of Seasons que havia sido perdida nos jogos posteriores, com mais foco em animação e gráficos. Gamasutra nomeou Barone um dos dez principais desenvolvedores de 2016, identificando que ele havia desenvolvido "sozinho" algo que "deu nova vida a um gênero" dominado pela série Story of Seasons. Em 2017, a Forbes nomeou Barone como uma das pessoas "30 Under 30" para assistir na área de videogames, citando seu compromisso em fazer Stardew Valley.


Muitos meios de comunicação elogiaram Stardew Valley por suas opções e representação LGBT, incluindo notavelmente a opção do personagem do jogador se casar com um dos 12 aldeões, independentemente do sexo. A revista Gayming elogiou a opção de um jogador se casar entre pessoas do mesmo sexo, ao mesmo tempo que criticou a falta de diversidade racial. Paste descreveu o jogo como sendo anticapitalista, citando o retrato negativo da fictícia Joja Corporation.


Recepção


Vendas


Stardew Valley vendeu mais de 400.000 cópias no Steam e GOG.com em duas semanas, e mais de um milhão em dois meses. A Valve informou que Stardew Valley estava entre os 24 jogos mais geradores de receita no Steam durante 2016. Os jornalistas observaram que a comunidade de jogadores demonstrou apoio a Barone para o jogo; embora alguns jogadores tenham obtido o jogo ilegalmente, esses jogadores ficaram impressionados com o jogo e declararam que planejavam comprá-lo, enquanto outros jogadores fizeram ofertas para ajudar a pagar aqueles que não podiam pagar pelo jogo. Um livro oficial de partituras para piano e álbum foi lançado em 2018 pelo selo Materia Collective.


No final de 2017, Stardew Valley vendeu mais de 3,5 milhões de cópias em todas as plataformas. O jogo também foi o mais baixado no Nintendo Switch em 2017, apesar de só ter sido lançado em outubro daquele ano.A Sensor Tower também estimou que nas primeiras três semanas do jogo na Apple App Store, ele obteve mais de US$1 million em receitas. Em maio de 2022, Stardew Valley vendeu mais de 20 milhões de cópias em todas as plataformas, sendo 13 milhões no PC.



Prêmios

Prêmios


27 0 2024-03-21 jogo autônomo

Human: Fall Flat

Human: Fall Flat

Human: Fall Flat é um jogo de plataforma de quebra-cabeças desenvolvido por No Brakes Games e publicado por Curve Digital. Inicialmente foi lançado para Microsoft Windows, macOS e Linux em julho de 2016, e recebeu portos para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X/S, Nintendo Switch, Google Stadia, e iOS e Android nos próximos anos.


Human: Fall Flat


O jogo recebeu revisões misturadas de críticos, embora a reproduzibilidade dos quebra-cabeças e animações comédicas fosse elogiada. O jogo vendeu mais de 50 milhões de cópias em dezembro de 2023, tornando-o um dos melhores videojogos de todos os tempos. Uma sequência, Human: Fall Flat 2, foi anunciada em junho de 2023 em Devolver Direct 2023.




Jogo


Human: Fall Flat é um jogo de quebra-cabeças de física onde jogadores jogam um humano personalizado, chamado Bob no jogo. Bob é afirmado não ter habilidades superhumanas; ele é puramente humano.  Os jogadores podem fazê-lo pegar objetos e subir os bordos usando ambos os braços e olhando com a cabeça. 


Bob diferente



Bob interagindo com um objeto físico Embora a aparência padrão de Bob seja um humano sem características, minimalista e branco com um chapéu de beisebol, os jogadores s ão capazes de o personalizar ao seu gosto, pintar seu corpo em uma variedade diferente de cores e vestir-o em uma variedade de fatos. 


O jogo está aberto. Cada nível é tematizado de forma diferente, cada um contém múltiplas soluções para seus quebra-cabeças únicos.  Diversos remotos escondidos no jogo fazem aparecer vídeos instrucionais, ajudando os jogadores a aprender o jogo e finalmente resolver os quebra-cabeças. 


Desenvolvimento


Human: Fall Flat foi desenvolvido por Tomas Sakalauskas, fundador do estúdio lituano No Brakes Games. Em 2012, Sakalauskas abandonou seu trabalho em TI para tentar desenvolver videojogos. Inicialmente Sakalauskas se concentrou em fazer jogos móveis apesar de ele ter acabado com dinheiro parcialmente através; isso, combinado com ele questionando a ética do modelo freemium da maioria dos jogos móveis, o levou ao invés de voltar o desenvolvimento para um jogo de PC. Sakalauskas afirmou que Human: Fall Flat foi sua "última oportunidade de jogar". 


O jogo começou a vida como um protótipo para a câmara de sensor de movimento da Intel RealSense. Embora Sakalauskas finalmente percebesse que o jogo funcionaria melhor com o controle tradicional e se afastaria do dispositivo.  Sakalauskas começou a fazer o jogo na veia de um jogo de quebra-cabeças semelhante a Limbo ou Portal, no entanto, quando jogou a testar o jogo com seu filho Sakalauskas notou que "ele fez tudo o possível para não resolver quebra-cabeças", em vez de se divertir com o motor de física. Isso causou que Sakalauskas mudou sua abordagem e tornou os quebra-cabeças "não realmente apertados à água". Inicialmente o jogo era apenas um jogador único. Embora Sakalauskas tenha recebido vários pedidos para um modo multijogador, ele sentiu que a física envolvida tornaria impossível jogar online; no entanto, ele eventualmente formou uma solução usando tecnologia da Nvidia, e em outubro de 2017, foi adicionada uma característica de jogadores online, permitindo até oito pessoas jogar online ou por LAN. 


Vários jogadores estão se unindo



O jogo foi lançado como um protótipo em Itch.io após o qual muitos prominentes streamers começaram a promovê-lo, levando Sakalauskas a lançar uma versão de Steam nove meses depois.  Versões PlayStation 4 e Xbox One seguiram em maio de 2017 com uma versão de Nintendo Switch naquele dezembro.  Um porto para plataformas móveis por Codeglue e 505 Games que apoiam iOS e Android foi lançado em 26 de junho de 2019. Um porto Stadia por Lab42 lançado em 1 de outubro de 2020,seguido por Xbox Series X/S e PlayStation 5 versões no ano seguinte.



Recepção crítica


Human: Fall Flat recebeu revisões "misturadas ou médias", de acordo com o agregador de revisão Metacritic.  Dan Stapleton da IGN recomendou o jogo para assistir ao invés de realmente jogar, louvando os controles de bateria, animações humorosas e personalização de personagens. [8] Zack Furniss of Destructoid gostou da reproduzibilidade dos quebra-cabeças e elogiou as múltiplas soluções que cada quebra-cabeça proporcionou. 


Vendas


Em fevereiro de 2018, mais de 2 milhões de cópias do jogo tinham sido vendidas em todas as plataformas.  De acordo com a Curve, as vendas do jogo foram aumentadas com a adição de jogador online no final de 2017; no início de janeiro de 2018, o jogo havia quebrado mais de 1 milhão de unidades vendidas na versão Windows, mas dentro de um mês, tinha visto 700.000 vendas adicionais.  Em junho de 2018, o jogo alcançou mais de 4 milhões de vendas em todas as plataformas. 


Human: Fall Flat foi o primeiro jogo de vídeo lançado por Super Rare Games, que é uma empresa de impressão limitada que publica fisicamente jogos de Nintendo Switch. 5.000 cópias foram disponibilizadas para ordem em março de 2018.[33] No Japão, a versão Nintendo Switch de Human Fall Flat lançada por Teyon Japan, uma filial de Teyon, foi o quarto jogo de bestselling durante sua primeira semana de lançamento, com 5.241 cópias vendidas. 


Em fevereiro de 2021, o jogo tinha vendido mais de 25 milhões de cópias; parte dessas vendas incluiu a popularidade do jogo na China ao longo de 2020 após ser lançado lá através da XD Inc e 505 Games, em parte devido à popularidade do jogo durante a pandemia COVID-19. 


Em março de 2023, Human: Fall Flat tinha vendido mais de 40 milhões de cópias. 


Accolades


Year
Award
Category
Result
2017
Prêmios DevelopIP de Novos JogosIndicado
Prêmio da Associação de Desenvolvedores de Jogos IndependentesJogo Casual/SocialIndicado
2018Prêmio da Associação de Desenvolvedores de Jogos IndependentesMelhor Design de ÁudioIndicado
Melhor Jogo CasualGanhou



23 0 2024-03-18 Jogos multijogadores

Forza Horizon 5

Forza Horizon 5

Forza Horizon 5 é um jogo eletrônico de corrida desenvolvido pela Playground Games e publicado pela Xbox Game Studios. É o quinto jogo da série Forza Horizon e o décimo segundo título principal da franquia Forza. O jogo se passa em uma representação ficcional do México. Foi lançado em 9 de novembro de 2021 para Microsoft Windows, Xbox One e Xbox Series X/S.


Forza Horizon 5

Jogabilidade


Forza Horizon 5 é um jogo eletrônico de corrida ambientado em um ambiente de mundo aberto sediado no México. O jogo tem o maior mapa de toda a série Forza Horizon, sendo 50% maior do que o de Forza Horizon 4, além de também ter o ponto mais alto da série Horizon. O mapa foi descrito pelo diretor criativo Mike Brown como um dos mapas mais diversificados da série Forza Horizon que a equipe já construiu. O mapa contém áreas como um vulcão ativo da caldeira, selvas e praias, antigos templos maias e cidades como Guanajuato. Os jogadores podem explorar o mundo aberto livremente, embora também possam competir em corridas multijogador e completar o modo campanha. Tanto os carros apresentados no jogo quanto o personagem do jogador podem ser amplamente personalizados. O jogo é o primeiro da franquia a oferecer suporte a ray tracing em carros (embora isso só esteja disponível em ForzaVista).


Três carros correndo na pista do Forza Horizon 5 no México


O jogo apresenta um novo sistema de clima (clima local) no qual os jogadores podem visitar um lado do mapa e ver visivelmente uma tempestade. Como o México é um país vasto com uma ampla gama de elevações, vários climas apareceriam no jogo ao mesmo tempo. As quatro estações ainda existem, mas afetariam os onze biomas exclusivos ao redor do mapa. Por exemplo, na estação seca, tempestades de areia aparecerão, enquanto tempestades tropicais ocorrerão durante a temporada de tempestades de outono. Outro detalhe está na selva, onde o ambiente agora reage ao clima; um exemplo disso são as folhas voando por toda parte.


Koenigsegg Jesko Rotatória do Dia de Chuva


Ele também apresenta um novo "Horizon Arcade". Isso consiste em uma série de jogos mini-multijogador espalhados pelo mapa. Um desses jogos mini-multijogador é o "Piñata pop", onde o avião de carga do Horizon Festival solta as piñatas. O objetivo é estourar o máximo de piñatas que puderem com a ajuda de outros jogadores. Ele também apresenta o "EventLab", um conjunto de ferramentas no qual os jogadores podem criar jogos personalizados, corridas e muito mais, dependendo de suas preferências pessoais. Um novo recurso chamado "Forza Link" foi introduzido. De acordo com Brown, é um assistente de IA que rastreia o status atual dos jogadores, ajudando-os a se conectar com outros jogadores on-line e jogar juntos. O Forza Link também pode conectar os sistemas GPS dos jogadores se eles aceitarem o convite de outro jogador.


Customização Sonora


Forza Horizon 5 desde suas primeiras gameplays mostrou como a equipe de desenvolvedores estava empenhada para deixar o game com um rico detalhamento não só visual mas também sonoro. Agora as peças mecânicas como escapamento, filtro de ar e turbinas alteram não apenas a performance do veículo, mas também seu ronco.


Localizações conhecidas


O jogo será ambientado em um mapa fictício baseado nos arredores da cidade de Guanajuato, no México. Estão retratados os seguintes pontos de interesse:

  • Alhóndiga de Granaditas

  • Arco de Cabo San Lucas

  • Barranco del Cobre

  • Cascadas de Agua Azul

  • Castillo Santa Cecilia

  • Ek' Balam

  • Faro de Santa Clara

  • Gran Telescopio Milimétrico

  • Grand Velas Los Cabos

  • Heroica Mulegé

  • Hotel Mirador

  • Iglesia de San Domingo

  • La Santíssima Trinidad

  • Missão de Mulegé

  • Nevado de Toluca

  • Oratorio de San Felipe

  • Parque Municipal de Béisbol Jose Aguilar y Maya

  • Puente Baluarte

  • Plaza de La Paz

  • Teatro Juarez

  • Teatro Principal

  • Templo de Quechula

  • Teotihuacán

  • Tula

  • Tulum

  • Universidade de Guanajuato

  • Uxmal

  • Valle de Las Ranas


Versões



O jogo estará disponível desde o primeiro dia com o Xbox Game Pass, mas também estará disponível para compra separadamente em três edições:


  • Padrão, contendo apenas o jogo;

  • Deluxe, contendo o jogo, o pacote VIP e o pacote de boas-vindas, um pacote adicional especial contendo 5 carros adequadamente atualizados para os vários tipos de desafios presentes no jogo;

  • Premium, inclui, além do conteúdo da Deluxe Edition, o Car Pass contendo 8 carros Formula Drift disponíveis desde o lançamento e 42 carros disponibilizados durante os primeiros seis meses após o lançamento do jogo, acesso de visualização a partir de 5 de novembro de 2021 e dois pacotes de espaço reservado para futuras expansões adicionais.

35 0 2024-03-15 jogo autônomo